Sensei Caio, três décadas dedicadas ao karatê

Iniciado para superar problemas de saúde, o professor que formou gerações preocupa-se também em usar o esporte pelo social

Sensei Caio em demonstração de Kata (luta imaginária)

É impossível pensar no karatê em Rio das Pedras sem lembrar de Antônio Carlos Schiavon, o sensei Caio da academia Washi-Kan. São 31 anos dedicados ao esporte, num trabalho que ajudou a consolidar a prática da arte marcial na cidade. Caio iniciou no esporte para superar um problema de saúde e agora, como forma de passar adiante os benefícios, se destaca por sua preocupação com questões sociais.
Aos seis anos de idade, Caio sofria de Osteoartrose do quadril, enfermidade que  causava desgaste no fêmur. O tratamento consistia em ficar um ano com as duas pernas engessadas e mais dois anos utilizando um aparelho específico na perna direita para amortecer os impactos. Quando foi liberado do aparelho, aos nove anos de idade, recebeu recomendação médica para praticar algum esporte.
Foi nesse período, em 1980, que ele começou a frequentar as aulas de karatê do Sensei Edson Aparecido Rosa, que ensinava um pequeno grupo de alunos no Estádio Municipal Massud Coury, o Campão, em um espaço cedido pela prefeitura. Nesse período, a prática de artes marciais na cidade era bem limitada, o esporte era visto como “brutal” e poucos alunos davam segmento à prática.
Caio persistiu e foi superando as dificuldades que sua condição física proporcionava até alcançar a faixa preta, aos 18 anos. A carreira como professor começou na antiga Academia Bem Viver, ensinando karate para crianças. Aos 22 anos, em 1993, Caio fundou a Associação Washi-Kan Karate-Do Shorin Ryu, primeira academia de karatê de Rio das Pedras.
Em 1995, a Washi-Kan entrou em um processo de ascensão com alguns de seus atletas, como Kléber Barbosa e Rogério Rigue, período no qual as primeiras grandes vitórias foram surgindo. Desde então, a academia foi conquistando diversos títulos nacionais e internacionais, sendo o mais recente a conquista do pentacampeonato no Circuito ACAK (Associação Cooperativa das Academias de Karatê) em 2010.
Focado na qualidade de seus atletas, Caio sacrificou boa parte de sua carreira como profissional para ser professor quase em período integral. Porém, isso não o impediu de chegar ao 5º dan (5º grau) da faixa preta e conquistar vitórias internacionais (veja os principais no quadro que ilustra esta página).
Recentemente, Caio foi condecorado como um dos grandes mestres de karatê no livro “Grandes Mestres das Artes Marciais – 2ª Edição”, compilação escrita pelo designer Fábio Amador Bueno e pelo jornalista José Augusto Maciel Torres que reúne os grandes mestres do país em diversas áreas, como Judô, Kung Fu, Kickboxing, entre outras.
Professor é preocupado com o social
Caio sempre foi e continua sendo medalha de ouro quando o assunto é responsabilidade social. Através do karatê, ele consegue ajudar a sociedade rio-pedrense em diversas áreas. Entre os projetos mais expressivos que ele já promoveu, destacam-se: treinamento em Defesa Pessoal para a Guarda Municipal; Projeto nas Escolas Públicas, onde era ensinado karatê para os alunos em horários alternativos dentro da própria escola; parcerias com as empresas Noblita e Arcor que proporcionam descontos para alunos; aulas de graça para pais de alunos e bolsas para alunos carentes.
Além da parceria com a ONG Igreja Batista, que está em andamento, o mais recente projeto de Caio é o karate para a Melhor Idade. A academia Washi-Kan oferece aos sábados aulas gratuitas para o grupo da Melhor Idade, com o intuito de proporcionar a prática de atividades físicas associadas ao esporte. Em pessoas com mais de 60 anos, o fortalecimento muscular contribui para a prevenção da osteoporose, proporciona maior flexibilidade e diminui os riscos de queda. Com 31 anos dedicados ao esporte, Caio acredita que pode ajudar a melhorar a qualidade de vida das senhoras da Melhor Idade.
“O meu propósito é dar para essas senhoras a oportunidade de praticar um esporte que tanto contribui na minha vida. Sinto a necessidade de mostrar que para ser praticante de karatê basta ter coragem de começar. Toda a atividade desenvolvida é adaptada para o bem-estar delas”, declara Caio.
O grupo da Melhor Idade que frequenta a academia é composto somente por mulheres, que praticam as atividades de forma descontraída e animada. “Estava com um pouco de receio antes, mas agora que vi como é, adorei! Só não venho semana que vem se perder hora”, relata Maria Lurdes Faco de Souza.
Ainda no ano de 2011, Caio pretende treinar mais e garante que irá para o 6º dan da faixa preta. Para alguém acostumado a superar dificuldades e quebrar barreiras sociais, não deverá ser difícil.
MULTICAMPEÃO
Confira os principais títulos do sensei Caio
– medalha de prata na II Copa Internacional Interestilos de Karatê, em 1997 no Peru;
– medalha de ouro no Campeonato Sul-Americano Interestilos, em 1998 no Paraguai;
– medalha de prata no Mundial de Karatê Shorin Ryu, em 2000 na Espanha;
–  medalha de prata no Traditional Okinawa Rengokai World Champions, em 2001 nos Estados Unidos.
– Pentacampeão do Circuito Acak de Karatê, como professor à frente da equipe Washi Kan.
FONTE: Professor Caio Schiavon
Anúncios

Deixe um comentário

Nenhum comentário ainda.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s