Karate-Do

Ideogramas de Karate-Do, significando Caminho da Mão Vazia

O Karate (em japonês 空手, Karate, ou 空手道, karate-dō, “caminho da mão vazia”), é uma arte marcial japonesa. 

O Karate é uma forma de budo (武道, caminho marcial), enfatizando as técnicas de percussão atemi waza (como defesas, socos e chutes) ao invés das técnicas de projeções e imobilizações. 

O treino de Karate pode ser dividido em três partes principais: Kihon, Kata e Kumite. 

Kihon (基本, “fundamentos”) é o estudo dos movimentos básicos. 

Kata (型, “forma”, “padrão”) é uma espécie de luta contra um inimigo imaginário expressa em seqüências fixas de movimentos. 

Kumite (組手, “encontro de mãos”) é a luta propriamente dita. Em sua forma mais básica é combinada (com movimentos predeterminados) entre os lutadores para, posteriormente, alcançar o jyu kumite (combate livre ou sem regras). A forma desportiva, ou combate com regras, é conhecida como Shiai-kumite.  

KATAs

 As técnicas do estilo são aperfeiçoadas através do treino de kihon (exercícios fundamentais), kata (exercícios formais) e kumite (luta), incorporando princípios filosóficos, tanto na teoria quanto na prática.

Há, ao todo, 21 kata, aprendidos pelos praticantes do estilo nesta ordem:

 01- Naihanchi Shodan

02- Fukyu-gata Dai Ichi

03- Naihanchi Nidan

04- Naihanchi Sandan

05- Fukyu-gata Dai Ni

06- Pinan Shodan

07- Pinan Nidan

08- Pinan Sandan 

09- Pinan Yondan

10- Pinan Godan

11- Itosu no Passai (anteriormente denominado Passai Sho)

12- Kussanku Sho

13- Matsumura no Passai (anteriormente denominado Passai Dai)

 14- Kussanku Dai

15- Chinto

16- Jion

17- Gojushi-ho

18- Teesho

19- Koryu Passai

20- Unshu

21- Ryuko

 Ao chegar ao 5º DAN, o carateca do estilo Shorin-ryu deve saber fazer e demonstrar com maestria as técnicas contidas nestes 21 kata.

História  

Treinamento de Karate no Castelo de Shuri, 1938.

Originalmente a palavra Karate era escrita com os ideogramas 空手 (“mãos vazias”) se referindo à Dinastia Tang ou, por extensão, a mão chinesa, refletindo a influência chinesa nesse estilo de luta.  

O Karate é provavelmente uma mistura de uma arte de luta chinesa levada a Okinawa por mercadores e marinheiros da província de Fujian com uma arte própria de Okinawa. Seus nativos chamam este estilo de Okinawa-te (“mão de Okinawa”). Os estilos de Karate de Okinawa mais antigos são o Shuri-te, o Naha-te e o Tomari-te, assim chamados de acordo com os nomes das três cidades em que eles foram criados. 

Em 1820 Sokon Matsumura fundiu os três estilos e criou o estilo shorin (pronuncia japonesa para a palavra chinesa shaolin), que é também a pronúncia dos ideogramas 少林 (“pequeno” e “bosque”). O nome shorin foi dado posteriormente, por Choshin Chibana, ao estilo idealizado pelo mestre Mastumura. Entretanto os próprios estudantes de Matsumura criaram novos estilos adicionando ou subtraindo técnicas ao estilo original. Gichin Funakoshi, um estudante de um dos discípulos de Matsumura, chamado Anko Itosu, foi a pessoa que introduziu e popularizou o Karate nas ilhas principais do arquipélago japonês. 

O Karate de Funakoshi teve origem na versão de Itosu do estilo shorin-ryu de Matsumura que é comumente chamado de shorei-ryu. Posteriormente o estilo de Funakoshi foi chamado por outros de shotokan por seu apelido shoto; o kanji kan (館) significa prédio ou construção, e portanto shotokan significa “Prédio de Shoto”. O estilo shotokan foi popularizado no Japão e introduzido nas escolas secundárias antes da Segunda Guerra Mundial. 

Como muitas das artes marciais praticadas no Japão, o Karate fez a sua transição para o karate-do no início do século XX. O do em karatê-do significa caminho, palavra que é análoga ao familiar conceito de tao. Como foi adotado na moderna cultura japonesa, o Karate está imbuído de certos elementos do zen budismo, sendo que a prática do Karate algumas vezes é chamada de “zen em movimento”. As aulas frequentemente começam e terminam com curtos períodos de meditação. Também a repetição de movimentos, como a executada no kata, é consistente com a meditação zen pretendendo maximizar o autocontrole, a atenção, a força e velocidade, mesmo em condições adversas. A influência do zen nesta arte marcial depende muito da interpretação de cada instrutor. 

A modernização e sistematização do Karate no Japão também incluiu a adoção do uniforme branco (quimono ou karategi) e de faixas coloridas indicadoras do estágio alcançado pelo aluno, ambos criados e popularizados por Jigoro Kano, fundador do judô. Fotos de antigos praticantes de caratê de Okinawa mostram os mestres em roupas do dia-a-dia. 

Faixas

Anúncios

Deixe um comentário

Nenhum comentário ainda.

Comments RSS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s